Mudanças entre as edições de "FAQ BDPI"

De Área Técnica
Ir para: navegação, pesquisa
 
Linha 129: Linha 129:
 
c) Localize o registro da produção no qual será carregado o arquivo;
 
c) Localize o registro da produção no qual será carregado o arquivo;
  
d) Acesse o Sherpa Romeo, e constate se é permitido depositar a versão pos-print ou a versão PDF Final;
+
d) Acesse o Sherpa Romeo - [https://v2.sherpa.ac.uk/romeo https://v2.sherpa.ac.uk/romeo], e constate se é permitido depositar a versão pos-print ou a versão PDF Final;
  
 
e) Caso só permita depósito da versão pos-print, acesse o website da revista ou a lista de títulos da Editora para identificar o prazo de embargo da revista;  
 
e) Caso só permita depósito da versão pos-print, acesse o website da revista ou a lista de títulos da Editora para identificar o prazo de embargo da revista;  

Edição atual tal como às 08h53min de 30 de julho de 2020

Frequently Asked Questions - FAQ Repositório da Produção USP - BDPI


ACESSO ABERTO


O que é Acesso Aberto?

R. O Acesso Aberto refere-se à disponibilidade e acesso gratuito por qualquer pessoa aos resultados de pesquisas científicas. Baseia-se na premissa de que o conhecimento científico é um bem público e, portanto, deve estar disponível a todos. O acesso ao documento é aberto mas isso não significa necessariamente que o documento pode ser depositado no Repositório da Produção USP (BDPI). Sempre é necessário consultar as permissões dos editores da revista ou e-book.

Quais são as vias para alcançar o Acesso Aberto?

R. Há diversas vias. Destacam-se as vias VERDE, DOURADA, DIAMANTE e HÍBRIDA

O que é via VERDE (Green)?

R. Green Road Open Access – o artigo é publicado em qualquer revista. O autor retém os direitos autorais e tem permissão para colocar cópias do artigo (às vezes um pre-print ou um post-print) em um repositório ou em seu próprio site. Trata-se do arquivamento do manuscrito no Repositório. Algumas editoras exigem um período de embargo da versão post-print antes que o artigo fique em acesso aberto.

O que é via DOURADA (Golden)?

R. Gold Road Open Access – o artigo é publicado em uma revista de Acesso Aberto, que está disponível gratuitamente na web e o autor paga uma taxa de publicação do artigo. Nesse modelo, é permitido que o PDF final do artigo seja depositado em qualquer lugar, incluindo o Repositório. As revistas de acesso aberto não cobram de leitores ou de bibliotecas, mas seu modelo econômico depende do pagamento de taxas pelo autor.

O que é via DIAMANTE (Diamond)?

R. Diamond Road Open Access – o autor publica o artigo em uma revista de Acesso Aberto e esse periódico não cobra taxas de autor. Essas revistas são mantidas por meio de trabalhos voluntários. São tipicamente aquelas revistas dirigidas por associações ou sociedades profissionais e organizações sem fins lucrativos, universidades ou agências governamentais. Seu modelo econômico depende de contribuições e doações de membros. A maioria das revistas hospedadas no Portal de Revistas USP seguem a via "Diamond".

O que é via HÍBRIDA (Hybrid)?

R. Hybrid Road Open Access – parcialmente financiadas por assinaturas, as revistas fornecem apenas acesso aberto para alguns artigos individuais para os quais os autores (ou patrocinador da pesquisa) pagaram a taxa de publicação de artigo (Article Processing Charge - APC).

O que significa Embargo?

R. Embargo é período de tempo definido pelo editor, calculado a partir da data de publicação da publicação original, durante o qual o depósito no Repositório pode ser feito, mas o arquivo deve permanecer restrito, até que o período de embargue finalize. Após o término do período de embargo, o arquivo pode se tornar público. O período de embargo varia de 6, 18, 24 ou 36 meses de acordo com o editor.

O que é versão Pre-print ou Pré-impressão?

R.Pre-print ou Pré-impressão – é o manuscrito do autor que foi submetido a uma revista. É a versão que ainda não foi revisada por pares e que não tem formatação nem foi ainda editado. Também é chamado de manuscrito do autor, manuscrito original, primeiro rascunho.

O que é versão Post-Print ou Pós-impressão?

R. Post-print ou Pós-impressão – é o artigo que foi submetido a uma revista e que já passou pela avaliação ou seja, pela revisão por pares e foi revisto em conformidade. Já possui algumas características do artigo em seu formato para publicação. Também é conhecido como manuscrito aceito/aprovado do autor (MAA). Em geral, pode ser depositado no Repositório de modo privado e só pode se tornar público após um período de embargo.

O que é Published version ou versão PDF Final ou versão PDF do editor ?

R. Publishers’ final version ou Versão final dos editores – é a versão do artigo publicado, que foi revisado por pares, editado, diagramado e paginado, totalmente formatado para publicação.

O que as licenças Creative Commons têm a ver com tudo isso?

R. As Licenças Creative Commons foram criadas para dar maior flexibilidade na utilização de obras protegidas por direitos autorais, de modo que os conteúdos sejam utilizados amplamente, sem que as leis de proteção à propriedade intelectual sejam infringidas. As licenças indicam os tipos de permissões e acessos diferenciados. Ao permitir o USO dos conteúdos, as licenças CC BY permitem o depósito do documento em Repositório institucional.


SOBRE O REPOSITÓRIO DA PRODUÇÃO USP


Qual é a URL / endereço do Repositório da Produção USP?

R. A URL é http://www.repositorio.usp.br Outras URLs continuam válidas e redirecionam para o Repositório: http://www.producao.usp.br e http://www.bdpi.usp.br

O que é BDPI?

R. BDPI significa Biblioteca Digital da Produção Intelectual da Universidade de São Paulo – http://www.repositorio.usp.br – que é o Repositório Institucional da Produção da USP.

Por que adotou-se a denominação Repositório da Produção da USP?

R. Adotou-se a denominação de Repositório da Produção da USP para tornar mais simples sua identificação pelo usuário final. Além disso, coaduna-se com a denominação adotada pela maioria das Universidades, incluindo UNESP e UNICAMP.

Por que a interface mudou?

R. A interface foi modificada para simplificar a visualização e localização da produção pelo usuário final, que é o público alvo.

As informações técnicas ainda estão disponíveis aos catalogadores?

R. Sim, as buscas e informações técnicas continuam disponíveis por meio dos filtros ou pela BUSCA TÉCNICA, um botão localizado na parte inferior da Homepage do Repositório.

Como funciona o Repositório?

R. O Repositório da Produção USP é um sistema de gestão e disseminação da produção intelectual (científica, acadêmica, técnica e artística) gerada pelas pesquisas e atividades desenvolvidas na Universidade de São Paulo (USP). Apoia-se na Resolução Nº 6.444 de 22 de outubro de 2012. Funcionando como metabuscador e plataforma de descoberta, o Repositório exibe os registros de produção intelectual de autores USP cadastrados no Banco de Dados Bibliográficos da USP (Dedalus) na Base 4 de Produção e na Base 3 de Teses e Dissertações.

Internamente, como funciona o Repositório?

R. É uma solução in house, customizada de acordo com as característica da USP, com forte inspiração no Vufind. Utilizando o ElasticSearch (uma ferramenta de criação de índices e recuperação da informação) e PHP (uma linguagem simples de máquina), o Repositório é totalmente compatível com o Google. A ideia principal por trás do ElasticSearch é utilizar os registros cadastrados no Dedalus em MARC e transformá-los em JSON (formato padrão leve utilizado no Elasticsearch), evitando o retrabalho dos catalogadores. Os arquivos (documentos) agregados aos registros ficam armazenados em DSpace, a camada mais profunda do Repositório.

Com que frequência os registros são atualizados no Repositório da Produção USP?

R. Os itens da produção USP no Repositório são atualizados diariamente, à medida que os bibliotecários cadastram novos documentos.

Como faço para saber o nº de registros com arquivos depositados?

R. Estando "logada(a), clique na opção "UNIDADE USP". Em seguida, clique em "FILTROS" e, utilizando a barra de rolagem, localize a opção "Informações administrativas” onde estão as opções “Texto completo” ou “Texto completo - Descrição”.

Haveria possibilidade de fazermos a pesquisa na BDPI - ReP pelo SYSNO? R. É possível incluir esse filtro, mas os analistas precisam ainda desenvolver.

Tentamos várias estratégias no campo Número USP na busca avançada da BDPI, inserindo ou excluindo aspas e parênteses, porém ele não aceita o operador "OR" em nenhuma das formas testadas.

R. O problema foi reportado à equipe de informática para verificação e solução.

Como funciona o embargo no Repositório da Produção USP?

R. O botão de "tornar privado" está disponível mas o prazo de embargo ainda não foi configurado, para que possamos registrar a data de vencimento do embargo quando, então, o documento se tornará público e aberto. Recomendamos o upload do arquivo e manutenção de uma planilha onde seja registrada a data de liberação dos artigos depositados com embargo. Mas deposite e mantenha privado.


DEPÓSITO DE ITENS


Quem na Biblioteca deve orientar o autor em relação a depósitos de produção na BDPI - ReP?

R. Essa decisão cabe à Chefia da Biblioteca mas, em geral, o Bibliotecário que gerencia as atividades de catalogação da produção intelectual é o profissional mais indicado a atender o autor.

Quem está habilitado a fazer o upload / carregamento de arquivos na BDPI - Repositório da Produção USP?

R. As Chefias das Bibliotecas enviaram a lista de funcionários que foram habilitados para essa atividade.

Que formatos de arquivo podem ser depositados na BDPI - Repositório da Produção USP?

R. Somente deposite arquivos em formato .pdf. Não deposite itens digitais em outros formatos (ex. não depositar .doc, .txt, etc).

Qual é o passo a passo das atividades visando o depósito de arquivos na BDPI?

R. Sugere-se seguir os passos abaixo:

a) Efetue o registro da produção no Banco de Dados Bibliográficos da USP (Dedalus) - interface GUI - ou certifique-se que o registro foi efetuado;

b) Acesse a BDPI - ReP e faça o login com seu nº USP e senha única;

c) Localize o registro da produção no qual será carregado o arquivo;

d) Acesse o Sherpa Romeo - https://v2.sherpa.ac.uk/romeo, e constate se é permitido depositar a versão pos-print ou a versão PDF Final;

e) Caso só permita depósito da versão pos-print, acesse o website da revista ou a lista de títulos da Editora para identificar o prazo de embargo da revista;

f) Caso não tenha o documento, entre em contato como o docente solicitando a versão pos-print;

g) Deposite na BDPI o Pos-Print recebido do docente e deixe restrito por enquanto, anotando na planilha a data de finalização do período de embargo para retornar ao registro e desembargar na data apropriada.

f) Deposite a versão PDF final para fins de governança e memória, mantendo restrito para sempre.

g) No final, dois arquivos estariam depositados: o Pos-Print (Restrito-Embargado por enquanto) e o PDF Final (Restrito-Para Sempre).


Como podemos nos organizar para as atividades da BDPI - Repositório da Produção USP?

R. Sugere-se manter uma Planilha Excel para organizar as atividades da BDPI com as seguintes colunas:

(a) Referência do registro, (pegar da BDPI a citação, copiar e colar na planilha),

(b) Título da Revista,

(c) Editora da Revista (nome da Editora),

(d) Política da Revista (Pré-Print, Pos-Print com embargo de ___meses, PDF Final),

(e) Data(s) do(s) e-mail(s) enviados ao(s) docente(s),

(f) Data do e-mail de resposta do(s) docente(s),

(g) Data do upload do item digital na BDPI,

(h) Versão depositada (Post-Print ou PDF Final) - Não depositar Pre-Prints,

(i) Data prevista para o desembargo (preencher caso se aplique),

(j) PDF final publicado pela editora depositado para fins de preservação: Sim ou Não.


Mesmo sem o financiamento Fapesp, posso prosseguir com o depósito do item digital na BDPI - ReP?

R. Sim, por favor, mas procure verificar se realmente não houve financiamento ou se foi uma falha de registro do financiamento, no início da catalogação no Dedalus. Corrija o Dedalus e depois prossiga.

Os arquivos carregados na antiga BDPI foram perdidos? O trabalho foi feito em vão?

R. Não. Os arquivos depositados na versão anterior da BDPI serão importados para a versão atual, com a devida diligência. Porém, esse trabalho requer ajustes técnicos pormenorizados e poderá levar algum tempo.

O que devemos priorizar no depósito de arquivos?

R. A prioridade deve ser dada aos registros mais recentes - 2018, 2019 e 2020.


DÚVIDAS E ORIENTAÇÕES GERAIS


A Resolução 6.444 de 22 de outubro de 2012 continua válida?

R. Sim. Como a Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica (AGUIA) incorporou as atividades do SIBi, a Resolução 6.444 continua vigente. De qualquer forma, tão logo a estrutura e o Regimento da AGUIA estejam consolidados, todas as regulamentações serão atualizadas.

Como saber qual é a política de arquivamento das revistas e editoras?

R. Consulte o SHERPA RoMEO e, em seguida, para confirmar, consulte o website da editora ou ainda a Lista de Editoras e Políticas de Arquivamento.

O que é Sherpa Romeo?

R. O SHERPA RoMEO é um recurso on-line que agrega e analisa as políticas de acesso aberto de editores e revistas de todo o mundo e fornece resumos das permissões de auto-arquivamento e condições de direitos concedidos aos autores, revista por revista. O SHERPA RoMEO permite que pesquisadores e bibliotecários visualizem as condições dos editores para o arquivamento de acesso aberto em cada periódico.

Que significam as cores do SHERPA RoMEO?

R. Referem-se às políticas de arquivo e permissões adotadas pelo próprio SHERPA RoMEO:

Verde - Pode arquivar a versão preprint e postprint ou Versão/PDF do editor

Azul - Pode arquivar a versão postprint (i.e. o rascunho final após o peer-review) ou Versão/PDF do editor

Amarelo - Pode arquivar a versão preprint (i.e. antes do peer-review)

Branco - O arquivo não é suportado formalmente

Se eu não encontrar a revista no SHERPA-RoMEO nem no DOAJ, como oriento esse autor?

R. Caso não encontre uma revista no SHERPA/RoMEO, tente buscar pelo nome da Editora. Caso não encontre a Editora, procure a informação sobre a política de arquivamento no website da própria revista ou da editora. Quanto ao DOAJ, caso não encontre uma revista no DOAJ, procure as informações no website da própria revista ou editora.

Não encontrei uma revista da USP no SHERPA-RoMEO. Isso é normal?

R. Nem todas as revistas do Portal de Revistas da USP estão no SHERPA/RoMEO, pois muitos editores não realizaram esse cadastro. Do mesmo modo, muitas revistas do Portal de Revistas da USP não estão cadastradas no DOAJ, pois muitos editores não realizaram esse cadastro. Estamos preparando uma campanha de conscientização sobre a importância desse cadastro. De qualquer modo, o Portal de Revistas da USP está sob licenciamento Creative Commons 4.0, exceto quando indicado de outra forma na página da Revista. Sendo assim, em geral as revistas hospedadas no Portal são "verdes", significando que as versões PDF do editor, Pos-Print e Pre-Print dos artigos podem ser depositadas no Repositório da Produção USP.

Revista considerada green: nem sempre será possível disponibilizar a versão final do editor em PDF? Isso é verdade?

R. Sim, mesmo sendo green, é necessário confirmar se os editores da revista permitem que o arquivo seja depositado no Repositório.

Em caso de disponibilização do post-print é o pesquisador que deverá encaminhar esse arquivo para a Biblioteca?

R. A princípio sim, pois o autor deve ter o arquivo em suas pastas de trabalho ou pode retornar à plataforma da editora onde submeteu seu artigo e solicitar uma cópia do manuscrito aceito. De qualquer modo, sempre vale entrar em contato com o autor, para que ele envie sua produção e colabore com a Biblioteca.

O periódico International Journal of Pharmaceutics no SHERPA/RoMEO é considerado revista green e libera somente o pre-print e o pos-print, sendo que a versão final do PDF não é passível de arquivamento no repositório. Já no site do periódico consta que é acesso aberto, mas que é necessário pagar uma taxa para de publicação em acesso aberto, essas informações nos pareceram contraditórias e deixam dúvidas. De qualquer maneira, nesse caso específico, podemos disponibilizar o post-print sem nenhum tipo de embargo de acesso na BDPI?

R. Após consulta à lista de revistas da Elsevier e os períodos de embargo, localizamos dois títulos que se seguem: a) International Journal of Pharmaceutics - issn 0378-5173 - autoriza o depósito apenas da versão pos-print - com embargo de 12 meses após a data de publicação. b) International Journal of Pharmaceutics: X - issn 2590-1567 - aparentemente de acesso aberto - espelho da revista acima. Creio que essa revista é híbrida, ou seja, torna o artigo aberto desde que seja pago a APC. Não está claro. Na dúvida, escreva ao editor ou adote a política mais conservadora: depósito da versão pos-print com 12 meses de embargo.

Quando encontramos um registro assim - https://bdpi.usp.br/item/002934378 - quer dizer que está embargado?

R. Nesse caso, trata-se de revista da Elsevier. Em geral, a Elsevier não permite o arquivamento do PDF final em repositórios, somente o Pos-Print com Embargo. Em particular nesse caso, há um item digital depositado e restrito. A versão depositada pode ser arquivo Pos-Print, que ficará restrito até que passe o período de embargo. Mas, também pode ser o arquivo do PDF Final, depositado para fins de preservação e memória e, nesse caso, ficará restrito para sempre. Atualmente, essa informação (versão depositada) não é exibida na BDPI, mas os analistas já estão trabalhando nisso e no Botão, para internamente registrarmos a data final do embargo, com a consequente liberação para o público. O Botão será reconfigurado, mas isso pode demorar um pouco, segundo os próprios analistas.

Como posso orientar o autor a obter a versão post-print de seu artigo?

R. Peça a ele que faça o login na página de submissões da revista onde publicou o artigo e recupere uma cópia do seu manuscrito aprovado ou versão aceita ou MAA. Caso essa opção não esteja disponível, o autor deve entrar em contato com a revista por e-mail e pedir uma cópia da versão aceita do seu artigo.

Um professor pediu os links para servir como justificativa no relatório da Fapesp. É assim mesmo que eles confirmam?

R. As informações e links devem constar do Relatório Final entregue à Fapesp.

Se o arquivo está embargado, a Fapesp aceita este link em Relatórios?

R. Acreditamos que sim, desde que haja a informação da versão depositada/embargo em algum lugar. Atualmente, não temos essa informação na BDPI, mas os analistas já estão trabalhando nisso e na reconfiguração do Botão. Porém, segundo os próprios analistas, resolver isso pode demorar um pouco.

Posso cadastrar um registro de um periódico de acesso aberto sem pedir autorização de nenhum autor?

R. Sim, mas somente se for Diamante ou Golden ou seja, são publicações de Editoras comprovadamente de acesso aberto (ex. BioMed Central, MDPI, SciELO, etc), onde a APC (Article Processing Charge) foi paga. Seria uma revista "aberta-aberta", o que significa que é de acesso aberto E permite depósito aberto do PDF final.

Para os documentos que estão sob embargo, haverá na interface interna da BDPI um campo para inserirmos a data de final de embargo (por ex. 06 meses, 12 meses, 18 meses e 24 meses?). E, havendo esse campo, haverá uma automatização no processo de tornar público o material quando este não mais se encontrar sob embargo?

R.Sim, a intenção é modificar o botão que hoje é denominado "Privado", para que seja possível registrar o prazo de embargo e para que a abertura do acesso público ao documento seja automática. Enquanto o botão não é desenvolvido, sugerimos que realizem o upload do documento e mantenham restrito/privado, anotando em uma lista os detalhes e o prazo de liberação.

Para revistas de “Acesso Aberto” devem ser consideradas as licenças de uso, como Creative Commons e outras, como restrição ao depósito em repositório?

R. Sim. Conteúdos licenciados sob Creative Commons permitem o uso dos documentos e interpreta-se que o uso inclui a permissão de depósito do arquivo no Repositório.

Revistas em Portais públicos como o SCIELO, podem ser inseridas de imediato "sem preocupação"?

R. Em geral, todas as revistas SciELO estão sob licenciamanto Creative Commons, exceto se indicado de outro modo pelo editor.

As versões na BDPI disponíveis podem ser assim associadas (PublishedVersion=PDF final do editor - SubmittedVersion=Pre-print - AcceptedVersion=Post-Print e UpdateVersion= Erratas, Suplementos etc,)?

R. As correlações estão corretas: PublishedVersion=PDF final do editor - SubmittedVersion=Pre-print - AcceptedVersion=Post-Print e UpdateVersion= Erratas, Suplementos etc.

A versão post-print pode estar disponível e recuperada pelo DOI ou apenas enviada pelo autor?

R. Sim, O identificador digital DOI pode ser atribuído às versões de documentos pre-print, post-print e PDF final.

E os artigos que apresentam a informação “Published online ou Available online” podem ser considerados a versão PDF do editor mas ainda não finalizada? Nestes casos devemos aguardar a edição final para efetuar o upload ou inserimos e atualizamos? Como gerenciar” manualmente estes casos”?

R. As publicações que possuem a informação “Published online - Available online - Article in Press - Ahead of print" indicam publicação antecipada, visando acelerar o acesso à publicação. Não há relação com as permissões de depósito.

O período de embargo é a partir do mês de aceitação do artigo (versão post-print)?

R. A contagem do período de embargo se inicia a partir da data de publicação do artigo.

Os uploads privados têm que abrir para todo funcionário cadastrado? Se não, como proceder?

R. Os arquivos privados só podem ser abertos pelos funcionários da Biblioteca da Unidade cadastrados para depósito de itens no Repositório. Para os arquivos privados será criada uma página de resposta atrelada a um formulário, caso algum usuário solicite uma cópia do documento à Biblioteca.

Como os uploads privados podem ser consultados pela comunidade USP, quando o editor cancelar o link de acesso (renovação de assinaturas etc)?

R. Não há uma relação entre vigência de assinaturas e depósito do documento no Repositório da Produção da USP. O foco está no depósito de documentos produzidos por autores da USP, sejam docentes, discentes ou servidores não docentes (funcionários) da USP. Os arquivos dos documentos que não podem ser públicos, permanecerão privados para fins de preservação e governança na instituição.

Há necessidade então de mantermos repositório interno, além da BDPI, para atendermos o caso acima?

R. Não. A ideia é concentrar todos os depósitos no Repositório da Produção USP (BDPI), inclusive pretende-se centralizar o armazenamento de todos os arquivos da produção intelectual que hoje se encontram digitalizados e armazenados em computadores locais nas Bibliotecas das Unidades USP no Repositório da Produção da USP, quando estiver preparado para receber essa massa de dados.

Posso excluir uploads de arquivos já efetuados?

R. Essa prática não é recomendada pois cria notificações falsas na camada do DSpace do Repositório. Certifique-se de carregar o arquivo correto na primeira vez.

Periódicos não assinados pela CAPES/USP e que não sejam de Acesso aberto, como será o upload? O Autor se “responsabilizará” através de algum formulário padrão (com embasamento da assessoria jurídica da Universidade para esses casos?) pelo UPLOAD mesmo tornando privado o artigo? Ou o tempo de embargo (periódicos que não são assinaturas USP/CAPES ficarão eternamente no status de “PRIVADO”... Na BDPI? Como será o controle desses artigos que estão na Modalidade de Privado?

R.Sempre precisamos seguir as políticas de arquivamento dos editores das revistas, sejam elas assinadas ou não pela USP ou Capes. Não temos apoio de nenhuma assessoria jurídica, nem atenderemos aos docentes sem a permissão do editor da revista. Dessa forma, o docente deve estar ciente das permissões do editor, consultando-os no momento da submissão de seus artigos e mesmo depois, consultando o Sherpa Romeo, antes de nos enviar o documento. Da nossa parte, como bibliotecários, vamos re-verificar as permissões do editor, de modo a garantir que a versão certa seja depositada na BDPI. Nossa política pública é solicitarmos a versão pos-print do artigo ao docente, sempre que o depósito do PDF final não for permitido pelo editor da revista. Sobre o embargo eterno com vistas à preservação digital, ainda teremos que conversar internamente sobre isso, mas qualquer situação nesse sentido nunca será uma política pública da USP.

No caso das revistas do Portal de Revistas da USP, qual é a política de arquivamento? Todas seguem a mesma política de arquivamento? Essa informação está indicada explicitamente no Portal ou em cada revista?

R. O Portal de Revistas da USP está sob licenciamento Creative Commons 4.0, exceto quando indicado de outra forma na página da Revista. Sendo assim, em geral as revistas hospedadas no Portal são "verdes", significando que as versões PDF do editor, Post-Print e Pre-Print dos artigos podem ser depositadas no Repositório da Produção USP.

A FAPESP fornece apoio financeiro para pagamento da taxa de publicação de artigo (Article Processing Charge - APC) quando e se o autor precisar?

R. Não. Porém, se no projeto submetido à Fapesp o autor tiver previsto esse custo, poderá utilizar essa verba para pagar o APC. Recomendamos consultar a Fapesp.

A USP financia o pagamento de APCs para os autores?

R. Não, apenas fornece percentual de desconto por meio de parcerias e afiliações. Para saber sobre descontos de pagamento de APC, acesse o link: http://www.sibi.usp.br/apoio-pesquisador/escrita-publicacao-cientifica/descontos-autores-usp/

Soube que a USP é afiliada à BioMed Central e que há desconto de APC para autores da USP. Como funciona esse desconto para pagamento de APCs?

R. Para obter o desconto, o autor USP deve acessar o site da revista desse Grupo Editorial para a qual pretende submeter um artigo e esse acesso deve ser feito a partir de qualquer computador da USP (IPs cadastrados). Deve então preencher seus dados e os dados dos demais autores, incluindo a afiliação. A submissão será realizada. Os valores de APC (Article Processing Charge) variam de revista para revista. Quando da aprovação/aceitação do artigo pela Revista, o autor recebe a notificação de aceitação e de pagamento dos custos (APC), subtraídos os 25% já custeados pela USP.